[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub
 
»» O SABER NÃO OCUPA LUGAR >> Textos, Opiniões e Comentários Pub
Pub  
  Cultura do Chícharo renasce em Alvaiázere

Carlos Gomes (*)

 

O chícharo é um legume seco muito apreciado pelas gentes das aldeias serranas das beiras onde os solos são áridos e pobres e a abundância de rochas calcárias torna-os menos férteis. Sem necessidade de grandes cuidados nem terra com muito amanho, esta leguminosa enfrenta a seca como o beirão resiste à vida árdua de uma lavoura cuja abundância pouco vai além de um punhado de chícharos.

De forma irregular, o seu aspecto assemelha-se mais ao tremoço e ao grão-de-bico, embora exista quem o confunda com o feijão-frade. Porém, difere no paladar que se apresenta suave e aveludado, combinando preferencialmente com o bacalhau assado. Porém, ele acompanha com quase toda a espécie de alimentos, desde o entrecosto às petingas, a morcela de arroz e os chocos, surgindo ainda em sopa ou transformada em licores. De início, o chícharo era simplesmente confeccionado em broa de milho, untada de azeite e a acompanhar o bacalhau assado com cebola crua.

Rico em proteínas, hidratos de carbono e sais minerais, o chícharo era pelos agricultores mais abastados servido como forragem aos animais. Mas, em casa dos mais pobres, ele constituía a base da sua dieta alimentar. Associado, portanto, a tempos mais difíceis, a sua cultura foi caindo em desuso à medida em que as condições de vida foram melhorando.

A organização regular de um certame com vista à divulgação do chícharo, associado a outras actividades de carácter cultural, passou a atrair a Alvaiázere numerosos visitantes desejosos de provar a iguaria. Esta iniciativa veio contribuir para inverter a situação que até então se verificava e o chícharo passou a ser de novo cultivado. E, o seu consumo tornou-se de tal modo apreciado que importantes unidades hoteleiras passaram a incluí-lo nos seus cardápios.

Também a localidade de Santa Catarina da Serra, situada no maciço calcário da Serra d’Aire, seguiu as pisadas de Alvaiázere e passou a realizar uma iniciativa semelhante. E, mais recentemente, o chícharo deu origem à constituição de uma confraria apostada na sua divulgação.

Acredita-se que o chícharo, do latim cicer, tenha a sua origem no Mediterrâneo Oriental. Entre nós, a sua cultura foi seguramente introduzida pelos árabes, razão pela qual predomina nas regiões mais a sul de Portugal onde a sua influência foi mais marcante. De resto, a toponímia de Alvaiázere identifica claramente a sua proveniência árabe, aludindo a Al Baiaz que sugere a existência de uma falcoaria. Mas, no que respeita à divulgação do chícharo, o apelo é bastante eloquente:

- Venha provar o património!

Receitas com chícharos
Alvaiázere - Leiria
» Sopa de Chícharos
» Chícharo com couves miúdas e petingas fritas
» Carne de Aguidar com Arroz de Chícharo
» Chicharada popular
» Pudim de Chícharo
» Rissóis de Chícharo
 
 
(*) Jornalista, Licenciado em História

Textos de Carlos Gomes - Index>>>

Outros Textos e Opiniões >>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster