[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» CICLOS >> Ciclo litúrgico anual > QUARESMA e PÁSCOA - Usos, Costumes e Tradições Pub
Pub    

 


 

Usos, costumes e tradições durante a Quaresma e na Páscoa:

 

"Os quarenta dias de preparação para a Páscoa eram um período de penitência, jejum e oração e, sob o ponto de vista alimentar, um período magro.

A Quarentena abria com a Quarta-feira de Cinzas. Após um dia de folia, importava chamar o crente à realidade, mesmo que, para isso, fosse necessário lembrar-lhe, simbólica mas cruamente, que ele era um ser mortal." Ver resto do texto>>>

 
»» Festas da Semana Santa
Braga
Durante a Semana Santa, Braga acolhe milhares de peregrinos oriundos de todo o país e da Galiza. É um ritual dominado pelo conjunto de procissões nocturnas envoltas numa forte intensidade dramática. É assim logo na Quinta-Feira Santa com a Procissão das Endoenças, ou, segundo a designação popular, do Senhor da Cana Verde. Em Braga, a procissão é também apelidada de «Senhor Ecce Homo».
»» A Quaresma na Beira Baixa
Há tradições que nunca mudam, ou mudam pouco. Disto é exemplo o que se passa durante a Quaresma e com mais incidência na Semana Santa em algumas das aldeias do Distrito de Castelo Branco. As gentes locais vestem-se a rigor e recriam alguns dos momentos que antecederam a Paixão de Cristo. Mulheres e homens encarnam com fé as personagens mais importantes da vida de Cristo e recordam as alegrias e, sobretudo, as dores sentidas nos momentos mais dramáticos que antecederam a morte na cruz. Em quase todas as localidades do concelho de Idanha-a-nova também em Proença-a-velha e em algumas freguesias de concelho de Covilhã e de Belmonte - ainda se faz a Encomendação das Almas.
»» "Amenta das Almas"
S. Romão
»» “Cantar os Martírios”
»» O Jogo da Reza
Trás-os-Montes e Alto Douro
»» Almas Santas
»» Cantar das Almas
Trás-os-Montes e Alto Douro
»» Encomendação das Almas
Algoso - Bragança
A “Encomendação das Almas”, uma celebração associada ao culto dos mortos, e que em tempos se fazia na maioria das aldeias transmontanas, continua a ter expressão, todas as Sextas-feiras da Quaresma, a partir da meia-noite, em Algoso, uma aldeia histórica do concelho de Vimioso.
Um pequeno grupo de pessoas da aldeia teima em fazer sobreviver um ritual cuja origem, como a maioria das tradições, se perde no tempo e corre, como tantas, o risco de se perder.
»» Encomendação das Almas
Manigoto - Guarda
Acorda cristão acorda / Desse sono em que estais / Rezai mais um Padre-Nosso / Por alma de vossos pais.
Acorda cristão acorda / Desse sono tão profundo / Lembra-te das benditas almas / Que lá estão no outro mundo.
»» Encomendação das Almas
Celorico da Beira
Acorda cristão, acorda / Lembra-te que hás-de morrer / E hás-de dar contas a Deus / Do teu bom ou mau viver.
Acorda cristão, acorda / Desse sono tão profundo / Tem cuidado não amanheças / Sepultado no outro mundo.
»» A Serração da Velha anuncia a Primavera
A tradição guarda ritos ancestrais que o folclore procura reconstituir. Muitos desses costumes têm a sua origem na religião primitiva dos povos que nos antecederam e da mistura dos quais descendemos. Com a introdução do Cristianismo na Península Ibérica ao tempo da ocupação romana, muitos desses rituais adquiriram novas formas, mais de acordo com a religião emergente.
»» A Serração da Velha
Freixianda
Sob uma forma mais ou menos cristianizada, os povos modernos preservam tradições cujas origens pagãs atestam a sua antiguidade. São disso exemplo as festas equinociais que anunciam a chegada da Primavera como sucede com o Entrudo e a Páscoa, as fogueiras de São João que celebram o solstício do Verão e ainda as saturnais romanas que foram substituídas pela quadra natalícia.
»» Serração da Velha
Alto Minho
»» Serração da Velha
Carreço - Alto Minho
»» Serração da Velha
Vestiaria - Alcobaça
»» A Ementa das Almas
Loriga
»» A Quaresma em Loriga
»» Via Sacra dos Homens
Loriga
»» 5ª Feira Santa - "O Encontro"
Loriga
»» 6ª Feira Santa - "O Enterro"
Loriga
»» A queima do Judas
»» Domingo de Páscoa em Loriga
»» Romeiros de Sta Cruz de Toronto - S. Miguel - 2007
(vídeo e informações)
»» Semana Santa em Olivença
(território Português sob administração de Espanha)
 
  Gosta da página? Partilhe!

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster